Governo do Estado conclui instalação de 40 estações meteorológicas

Equipamentos possibilitarão informações em tempo real sobre condições climáticas

Terça-Feira, 14 de Maio de 2024 às 15:30:00

O Governo de Estado concluiu nesta terça-feira, 14, a instalação das estações meteorológicas em 40 municípios sergipanos. Realizada por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura e Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), a iniciativa tem por finalidade o monitoramento e gerenciamento em tempo real de situações de riscos, e a emissão, sempre que necessário, de alertas à população sobre a possibilidade de eventos extremos.

Com a implantação dos equipamentos, a empresa prestadora dos serviços realizará a calibração, e, posteriormente, uma capacitação para os profissionais da Supdec. Com os conhecimentos específicos dos parâmetros fornecidos, os técnicos da Defesa Civil repassarão as informações para os coordenadores municipais.

Segundo o superintendente da Supdec, Luciano Queiroz, além da equipe da Defesa Civil, os sergipanos terão acesso às informações fornecidas pelos equipamentos. “Em breve, será disponibilizado gratuitamente um aplicativo para aparelhos Android e IOS, e após a realização de um cadastro, qualquer cidadão ficará informado sobre as variações climáticas monitoradas por essas estações espalhadas no estado”, ressalta.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Igor Albuquerque, o acesso aos dados fornecidos pelas estações contribuirão ainda mais para o monitoramento das condições meteorológicas. “A atitude inédita do Governo do Estado permitirá que os sergipanos acompanhem diariamente os dados referentes aos diversos parâmetros meteorológicos, podendo se precaver de possíveis intempéries e até contribuir no planejamento e manejo da agricultura”, enfatiza.

Locais de instalação

Estrategicamente instalados nas sedes municipais dos oito territórios sergipanos, em prédios públicos, tais como sedes de Corpo de Bombeiros Militar, delegacias e fóruns, os equipamentos possibilitarão às coordenadorias de Defesa Civil, municipais e estadual, além da sociedade civil, informações em tempo real sobre volume pluviométrico, temperatura, umidade relativa do ar, pressão atmosférica, radiação solar, evapotranspiração, índice ultravioleta, direção, velocidade e rajada dos ventos.

Fotos: Marcos Rodrigues

Governo de Sergipe ativa estações meteorológicas em 40 municípios para monitorar e gerenciar situações de risco em tempo real

Instrumentos tornarão mais eficaz o trabalho de prevenção e mitigação aos efeitos da chuva

Sábado, 04 de Maio de 2024 às 09:00:00

No decorrer deste mês de maio, o Governo do Estado ativa 40 estações meteorológicas em 40 municípios sergipanos, estrategicamente selecionados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura (Sedurbi) e pela Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec). O projeto de instalação dos equipamentos começou a ser executado na última terça-feira, dia 30, pelo município da Barra dos Coqueiros, na Grande Aracaju e, por meio dele, o governo objetiva monitorar e gerenciar situações de risco em tempo real, além de tornar mais eficaz o trabalho de prevenção e mitigação aos efeitos da chuva.

Segundo o superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Luciano Queiroz, o número de equipamentos disponibilizados será suficiente para oferecer uma ampla cobertura em todo o estado, assim que for concluída a fase de testes. As sedes dos fóruns, delegacias e do Corpo de Bombeiros Militar foram escolhidas para a instalação das estações, a fim de evitar possíveis danos aos equipamentos e, consequentemente, interrupções na transmissão dos dados.

“É a primeira vez que o governo estadual investe em um equipamento que agiliza o repasse de informações acerca dos parâmetros de radiação solar, volume pluviométrico, direção, velocidade e rajada dos ventos, temperatura, umidade relativa do ar, índice ultravioleta, pressão atmosférica e precipitação. Todas essas informações também serão acompanhadas pelos cidadãos que efetuarem seus cadastros no sistema, a ser brevemente divulgado”, explicou Luciano Queiroz.

O secretário da Sedurbi, Luiz Roberto Dantas, destacou a importância dessa iniciativa para o trabalho da Defesa Civil, que atua na promoção e segurança da população sergipana em situações de desastres naturais ou impactos ambientais. “As informações transmitidas pelas estações, com base nos índices pluviométricos obtidos, por exemplo, contribuirão, inclusive, para avanços na agricultura. Mais benefícios para o homem do campo, para o setor agrícola e para Sergipe “, acrescentou.

Programação

A Sedurbi e a Defesa Civil estadual idealizaram uma programação para agilizar o serviço de instalação das estações meteorológicas. Além de Barra dos Coqueiros, já contam com os equipamentos: Nossa Senhora do Socorro, Maruim, Laranjeiras, Areia Branca, Itabaiana, Carira, Nossa Senhora das Dores e Siriri.

Fotos: Defesa Civil

Estações meteorológicas começam a ser instaladas pelo Governo do Estado

Serão distribuídos entre as regiões 40 equipamentos que ajudarão no gerenciamento de risco e prevenção aos efeitos das chuvas

Terça-Feira, 30 de Abril de 2024 às 19:15:00

Em uma iniciativa inédita, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura (Sedurbi) e da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), deu início na tarde desta terça-feira, 30, à instalação de estações meteorológicas nos municípios sergipanos, tendo como pioneiro a Barra dos Coqueiros.

Ao todo, 40 estações serão instaladas em prédios públicos, como grupamento de Corpo de Bombeiros, fóruns e delegacias, nos oito territórios sergipanos nos próximos 15 dias, possibilitando a cobertura de todo o estado e informando sobre os parâmetros de radiação solar, volume pluviométrico, direção, velocidade e rajada dos ventos, temperatura, umidade relativa do ar, índice ultravioleta, pressão atmosférica e precipitações.

Segundo o superintendente estadual de Proteção e Defesa Civil, tenente-coronel, Luciano Queiroz, as estações auxiliarão significativamente os trabalhos de monitoramento. “Uma vez instaladas, elas fornecerão subsídios para que tenhamos o gerenciamento de risco, prevenção e mitigação aos efeitos da chuva, principalmente no período da quadra chuvosa. Com isso, atuaremos de maneira  antecipada em face de situações de maior periculosidade, permitindo agir preventivamente e proativamente, emitindo alertas e retirando a população de área de risco”, explica.

Funcionamento 

O equipamento é um produto sustentável com painel solar e bateria interna e funciona automaticamente, sem necessidade de energia elétrica, por meio de chip de telefone celular, tendo ainda a função Wi-Fi, o que permite que o cidadão, ao fazer um cadastro com nome, e-mail e número de telefone, mantenha-se informado sobre as variações climáticas, por um aplicativo gratuito disponibilizado para aparelhos Android e IOS, permitindo a visualização do que está acontecendo no bairro e, até mesmo, em sua cidade, a cada dez minutos.

Todos os dados coletados ficarão armazenados por tempo indeterminado em nuvem e sem nenhum custo, o que permite o acesso futuro de todas as informações climáticas, desde o dia em que a estação foi instalada, sem o menor risco de perdê-las ainda se acaso a rede de internet vier a falhar, visto que a própria estação começa a armazenar os dados para que, quando o sinal for restabelecido, eles sejam encaminhados à nuvem. 

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, a funcionalidade das estações proporcionarão ganhos para a população em diversos aspectos. “O ineditismo do Governo do Estado fará com que tenhamos informações meteorológicas em tempo real e que, além de ficarem armazenadas no site do governo, serão disponibilizadas para toda a população. Também auxiliará nos trabalhos preventivos da Defesa Civil e, com base nos índices pluviométricos obtidos, contribuirá até para o plantio da safra, possibilitando menos prejuízos e mais avanços na agricultura”, ressalta.

Fotos: Marcos Rodrigues

Defesa Civil estadual atua em parceria com os municípios para restabelecer normalidade diante das chuvas intensas no estado

Nesta quarta-feira, 24, a Supdec foi acionada pelo município de Salgado devido a uma ponte de madeira que foi arrastada pela cheia do rio, impactando diretamente a mobilidade local

Quarta-Feira, 24 de Abril de 2024 às 18:00:00

O volume considerável de precipitação de chuvas em um curto período de tempo, na última terça-feira, 23, resultou em alagamentos em alguns municípios sergipanos, especialmente em áreas desprovidas de rede de drenagem ou com obstrução das mesmas. Nesta quarta-feira, 24, a Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec) foi acionada pelo município de Salgado e, em parceria com a Defesa Civil municipal, está atuando na cidade, devido a uma ponte de madeira que foi arrastada pela cheia do rio, impactando diretamente a mobilidade local.

Diante desse cenário, a gerente de Planejamento e Prevenção de Riscos da Supdec, major Flávia Emanuela Cruz, explicou a importância do monitoramento contínuo e do apoio às comunidades vulneráveis. “Como havíamos alertado anteriormente, o mês de abril iniciou a quadra chuvosa, porém, com exceção do Sertão e do Baixo São Francisco, todas as demais regiões do território já choveu acima da média histórica. Então continuamos alertando a população, que se mantém informada por meio dos órgãos oficiais, sobre a possibilidade de chuvas intensas, descargas elétricas, ventos fortes, maré alta, regiões que possam sofrer alagamento e inundações, para poder minimizar ao máximo os danos causados por esses eventos adversos”, ressaltou.

Para lidar especificamente com a situação em Salgado, a Defesa Civil do município solicitou apoio técnico à Defesa Civil do Estado. O sargento Alex de Carvalho, gerente de Mapeamento e Segurança de Cenários de Risco da Supdec, explicou a abordagem adotada. “Fomos acionados para prestar suporte no desabamento da ponte que liga os povoados Arrepiada aos povoados Cabral, Grilho e Macedina. Trata-se de uma estrada vicinal. É o principal acesso que liga esses povoados, porém há um desvio de mais ou menos 3km que as famílias conseguem acessar”, detalhou.

A reconstrução da ponte em Salgado representa um desafio logístico e estrutural, mas a atuação conjunta entre a Defesa Civil estadual e as autoridades municipais visa restabelecer a normalidade o mais rápido possível. “Nosso objetivo é fornecer assessoria técnica para orientar o município na reconstrução da ponte e garantir a segurança da comunidade. A assessoria técnica consiste em orientar como fazer o registro no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres S2iD do governo federal, elaboração de relatórios de vistoria e como eles podem pedir recursos para tal finalidade”, pontuou o sargento Alex.

Segundo a gerente de Planejamento e Prevenção de Riscos da Supdec, a Defesa Civil do Estado permanece monitorando esses eventos hidro, geo e meteorológicos que possam vir a trazer transtornos e danos à população, principalmente as que residem em áreas de risco. “Inclusive apoiando e orientando os coordenadores e gestores municipais durante as ações de resposta”, completou a major Emanuela.

Fotos: Ascom/Sedurbi

Defesa Civil estadual segue em alerta para atender municípios em situação de risco por conta das chuvas

Os chamados para comunicar casos de emergência devem ser realizados por meio do telefone 193

Quinta-Feira, 18 de Abril de 2024 às 14:00:00

Desde que centros de meteorologia confirmaram o alerta de chuvas intensas na região Nordeste até o dia 24 de abril e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas de Sergipe (Semac) passou a atualizar a previsão do tempo em todos os territórios sergipanos, a Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec) entrou em alerta para atender aos possíveis chamamentos de municípios em situação de enfrentamento de risco, por meio das suas coordenadorias de Defesa Civil. Até a manhã desta quinta-feira, 18, foram encaminhadas imagens de ocorrências, mas não houve solicitação para apoio presencial da equipe da Supdec.

De acordo com o superintendente da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Luciano Queiroz, as situações estão sendo monitoradas, administradas e sob o controle dos próprios municípios, a exemplo de Maruim, na Rua Floriano Peixoto, zona urbana, onde ocorreu o desmoronamento do muro de duas residências e a perda de móveis em outras duas, devido a alagamentos. O município também registrou o aumento do volume de água do rio Ganhamoroba.

Em Nossa Senhora do Socorro, foi registrado alagamento na avenida Lauro Porto.  O Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária (DER/SE) foi acionado e esteve no trecho para monitorar o cenário. De acordo com a Diretoria de Operações do órgão, a prefeitura local será oficialmente comunicada sobre a necessidade de viabilizar novos serviços de drenagem, caso não haja o escoamento da água.

Em Aracaju, conforme dados informados pela Defesa Civil municipal, ocorreram monitoramentos para identificar risco de colapso estrutural em áreas de risco. Foram registrados três pontos de alagamentos, um colapso parcial de via, interdição de três imóveis no bairro Novo Paraíso, em razão de colapso de área dos fundos, e de um imóvel no bairro América. Também foi informado que na madrugada desta quinta, 18, a bacia do Rio Poxim registrou um acumulado de 38 milímetros, mas sem risco de inundação.

“Toda a equipe da Defesa Civil estadual está em alerta para atender às coordenadorias municipais e às pessoas que entrarem em contato para solicitar orientação e apoio para as situações de risco”, ressaltou o superintendente do órgão. O tenente-coronel Luciano Queiroz lembrou que os chamados da população para comunicar casos de emergência devem ser realizados por meio do telefone 193.

Seminário promovido pelo Governo do Estado atende expectativas de agentes e coordenadores de Defesa Civil.

O evento reúne um público que se apresenta bastante envolvido com a ocasião e atento às falas dos palestrantes com trabalhos reconhecidos nacionalmente.

 22 de março de 2024 |  16:01.

A prevenção e o enfrentamento a eventuais adversidades e situações de risco que podem ocorrer durante a quadra chuvosa – período que compreende os meses de maio, junho, julho e agosto – são questões amplamente discutidas no seminário ‘Mitigação aos efeitos das chuvas para 2024’, que acontece no decorrer desta sexta-feira, 22, no auditório da Biblioteca Pública Epiphanio Dória, em Aracaju.

Realizado pelo Governo de Sergipe, sob a coordenação da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), o evento reúne um público bastante envolvido com a ocasião e atento às falas dos palestrantes reconhecidos nacionalmente, que representa coordenadorias estaduais e municipais de Defesa Civil, Exército, Marinha e segmentos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), Polícia Militar de Sergipe (PMSE) e Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), além de técnicos do governo.

Para muitos desses participantes, a ocasião fortalece o trabalho cotidiano, orienta e dinamiza as ações nas localidades. Laranjeiras, por exemplo, é uma das cidades de Sergipe que registra alagamentos quando ocorrem chuvas mais intensas. Para o coordenador da Defesa Civil do município, Ricardo Galvão, um dos 120 inscritos, o seminário está oportunizando clareza da informação e exemplos importantes que servem de direcionamento para todos, de acordo com as respectivas realidades.

“Esse seminário pode ser considerado um guia. Ele nos orienta a agir preventivamente, a fazer trabalhos intensificados e, principalmente, priorizar os cuidados com a população que reside em áreas de risco”, considerou Galvão. O coordenador ressaltou, ainda, que o evento chega, também, para informar os procedimentos a novos coordenadores e coordenadoras de Defesa Civil. “Existem colegas que foram nomeados recentemente, então aqui eles adquiram mais qualificação para impulsionar a jornada”, completou.

Também presente no evento, o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, Robson Rabelo, enfatizou que todo ensinamento é válido, principalmente quando se fala em mitigação dos efeitos da chuva, que é o tema do seminário. “Falar sobre esse assunto no período que antecede a quadra chuvosa contribui de forma decisiva para o trabalho dos municípios. Aqui estão palestrantes do Inmet [Instituto Nacional de Meteorologia], integrantes do Grupo de Apoio a Desastres (Gade), são pessoas de renome e que têm grandes experiências em outros desastres, em outras ações, quando as chuvas são intensas. Poder aprender com a experiência do Gade contribuirá para uma resposta mais efetiva, de forma a minimizar os impactos que essas chuvas podem trazer”, relatou o coordenador.

“Encontrar esses técnicos que se dedicam diariamente às suas funções é de grande importância para nós, que fazemos parte da Coordenadoria de Monitoramento e Alerta do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad)”, disse a coordenadora e palestrante Rosane Duque Estrada Vieira. 

Satisfeito com a adesão do público alvo ao evento, o superintendente da Supdec, tenente-coronel Luciano Queiroz, reforçou a importância de trazer para o seminário um tema que trata de prognóstico para a quadra chuvosa. 

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, relatou situações de ocorrências durante a quadra chuvosa de 2023, tanto na capital como no interior de Sergipe. Nesse sentido, ele reforçou a importância das ações preventivas, resilientes e antifrágeis para prevenir riscos decorrentes das adversidades.

Preparação para a quadra chuvosa é debatida em seminário realizado pelo Governo do Estado

Coordenadores municipais e representantes de diversos órgãos da esfera governamental e instituições privadas participam do evento coordenado pela Supdec.

22 de março de 2024 | 15:35.

Com o propósito de preparar e socializar conhecimentos com gestores e coordenadores de Defesa Civil dos municípios sergipanos, a fim de que eles possam melhor atuar em suas localidades no decorrer da quadra chuvosa – maio a agosto -, o Governo do Estado, por meio da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), realiza, nesta sexta-feira, 22, o seminário ‘Mitigação aos efeitos das chuvas para o ano de 2024’.

O evento, que acontece no auditório da Biblioteca Pública Epiphaneo Dória, em Aracaju, teve início às 8h com a abertura oficial e às boas-vindas do superintendente da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Luciano Queiroz. “O Governo do Estado tem atuado junto à Defesa Civil para que possamos trabalhar a gestão do risco de desastres. Trouxemos personagens importantes do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, que são os órgãos que fazem o monitoramento de alertas e fazem também a meteorologia aqui do nosso estado. As orientações desses especialistas são importantes para que possamos tratar o prognóstico da quadra chuvosa junto às defesas civis municipais, já que eles são os responsáveis pelas primeiras respostas aos desastres, então eles têm de estar preparados, informados e com sua estrutura pronta”, explicou.

União de forças

Conforme programação anunciada, os trabalhos técnicos foram iniciados com a palestra da coordenadora de Monitoramento e Alerta do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Rosane Vieira, que reforçou que o caminho para uma sociedade mais segura é unir forças e se manter preparado para enfrentar os desastres. “Um dos nossos focos é ressaltar a importância da parceria e da união entre os governos federal, estadual e municipal. Na hora de um desastre, principalmente no momento de resposta a ele, é muito importante que todos os entes federados trabalhem de maneira integrada para poder minimizar e mitigar os impactos de um desastre frente à população. Todas as vezes que nós unimos esforços, seja em qualquer momento da nossa vida, de uma maneira geral, os resultados são muito mais eficazes do que se cada um trabalhar sozinho”, afirmou.

Dando continuidade ao evento, a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Morgana Almeida destacou que, para poder agir com maior preparo, é fundamental estar atento à premissa de conhecer o passado, monitorar o presente e projetar o futuro; ela detalhou o processo de elaboração dos avisos meteorológicos, desde a sua construção até a publicação. “A divulgação da informação científica e meteorológica e as previsões climáticas visam antecipar a questão da preparação para um período mais crítico, como o período de chuvas intensas, então as informações que nós trazemos aqui subsidiam os órgãos de tomadas de decisões, especialmente a Defesa Civil, no sentido de ter toda essa preparação para minimizar os danos e que porventura venha a trazer um evento meteorológico mais extremo”, frisou.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, representando o governador Fábio Mitidieri, após ressaltar a importância do evento, anunciou que o Governo de Sergipe fará a instalação de 40 estações pluviométricas, distribuídas estrategicamente por todas as regiões, com o objetivo de mensurar o volume de chuvas, níveis e vazões dos rios. “Quando analisamos o histórico do aumento das chuvas nesse período nos últimos anos, principalmente de abril até o mês de junho, que é quando elas são mais intensas em nosso estado e em alguns municípios, é que usamos a máxima de que prevenir sempre é melhor do que remediar. Dessa forma, o Governo do Estado tem contribuído em investimentos não apenas preventivos, mas sobretudo de preparação e ação de resposta”, enfatizou.

Para o adjunto do Escritório Avançado da Operação Carro-pipa da 6ª Região Militar, tenente-coronel Francisco Geovan Ferreira Alves, é importante a participação do Exército no evento. “Apesar de o escritório avançado da Operação PIPA da 6ª Região Militar fazer a entrega de água à população necessitada quando acontece estiagem ou seca, é interessante que possamos conhecer mais  sobre  as consequências da quadra chuvosa aqui no estado. Assim, é necessário estarmos presentes, a fim de coletar dados e ajudar também a nossa situação de escritório avançado”, analisou.

Além das coordenadorias de Defesa Civil de municípios dos oito territórios sergipanos, representantes do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), Exército, Vigilância Sanitária, Energisa, Grupamento Tático Aéreo de Sergipe (GTA/SE), Marinha Brasileira, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Secretaria de Estado da Defesa Social e da Cidadania (Sedetec), Guarda Municipal da Barra dos Coqueiros, Secretaria de Estado da Saúde (SES), Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac) e da Defesa Civil dos estados de Alagoas e Pernambuco se fazem presentes no seminário.

Programação

O evento prossegue a partir das 14h30 com a palestra ‘Previsão hidrogeológica para prevenção de desastres naturais’, a ser proferida pelo especialista em Geodinâmica e Geologia de Desastres do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem), Pedro Ivo Mioni Camarinha, e será encerrado com o diretor de Planejamento do CBMSE, tenente-coronel Mário Bitencourt, que abordará o tema ‘Como captar recursos em emendas parlamentares’.

Defesas Civis estadual e municipal unem esforços para mitigar impactos das chuvas em Itaporanga d’Ajuda.

A Defesa Civil estadual foi acionada e, em parceria com o município, está atuando na cidade.

Sexta-Feira, 15 de Março de 2024 às 08:27:00

Durante períodos de tempestades de verão, a atuação da Defesa Civil de Sergipe é importante para mitigar os riscos e prevenir desastres, unindo esforços e recursos em prol da segurança e bem-estar da população. Em estreita colaboração com o Governo Federal, o órgão estadual estabelece diretrizes e normas para orientar a atuação dos municípios. Esse alinhamento busca uma resposta mais organizada e eficiente diante de situações de emergência. Quando as capacidades locais se mostram insuficientes, a Defesa Civil estadual entra em ação, oferecendo suporte técnico e logístico.

Foi o que aconteceu nesta quinta-feira, 14, em Itaporanga d’Ajuda. As recentes chuvas que assolaram o município de Itaporanga desencadearam uma série de problemas relacionados à infraestrutura urbana e à segurança dos moradores. O volume considerável de precipitação em um curto período de tempo resultou em alagamentos, especialmente em áreas desprovidas de rede de drenagem ou com obstrução das mesmas. A Defesa Civil estadual foi acionada e, em parceria com o município, está atuando na cidade.  

“Seis casas foram diretamente afetadas, com uma delas desabando e causando ferimentos leves a um morador. Nós estamos atualmente avaliando o risco estrutural das outras cinco residências atingidas, o que pode resultar em evacuações preventivas para garantir a segurança de todos. Se condenadas pela Defesa Civil, serão orientadas a buscar abrigo em residências de amigos ou parentes, ou, se necessário, serão assistidas pelo poder público, podendo receber auxílio financeiro para aluguel ou serem realocadas para locais seguros providenciados pela prefeitura”, explica o coordenador de Recuperação e Gestão de Cenários de Risco, subtenente Moacir Sena.

O Governo do Estado também está mobilizado para enfrentar os desafios decorrentes das chuvas, disponibilizando maquinário para a limpeza de canais e córregos, visando minimizar os riscos de novos alagamentos no município de Riachuelo. Além disso, medidas preventivas estão sendo estudadas, como a instalação de caixas d’água em áreas vulneráveis, com o objetivo de absorver o excesso de água e reduzir os impactos.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto Dantas, essa troca de informações e a cooperação mútua entre Estado e município permitem uma avaliação mais precisa dos danos causados e das necessidades de reconstrução. “A Defesa Civil estadual desempenha um papel fundamental no apoio técnico e logístico aos municípios. Além disso, o órgão realiza rotineiramente capacitações e treinamentos sobre boas práticas de prevenção, como mapeamento de áreas de risco, planos de contingência e sistemas de alerta precoce”, explica.

Operação Carro-Pipa do Governo do Estado chega a mais três municípios.

Atendimentos acontecem quando as gestões municipais seguem os critérios recomendados pelo Governo Federal e, posteriormente, obtêm a homologação do Governo do Estado.

Quarta-Feira, 06 de Março de 2024 I 11:00:00

O Governo de Sergipe ampliou o atendimento realizado por meio da Operação Carro-Pipa e, desde a manhã desta terça-feira, 5, incluiu mais três municípios em situação de emergência no cronograma de abastecimento de água potável: Porto da Folha, Pinhão e Monte Alegre de Sergipe.

A cisterna da residência de dona Adelma Vieira foi uma das abastecidas pelo caminhão-pipa, e os sentimentos de satisfação e alívio ficaram evidentes no semblante da agricultora, que mora no povoado Niterói, em Porto da Folha. “Graças a Deus que a água chegou. Vou encher meus potes e cuidar melhor da minha casa”, ressaltou dona Adelma.

Coordenada pela Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), a operação já acontece em Nossa Senhora da Glória e Poço Verde. No total, são assistidas cinco mil pessoas.

De acordo com o superintendente do órgão, tenente-coronel Luciano Queiroz, esses atendimentos acontecem quando as gestões municipais seguem os critérios recomendados pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional/Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (MIDR/Sedec) e, posteriormente, obtêm a homologação do Governo do Estado.

“Existe um procedimento e ele deve ser cumprido. Algumas localidades de Sergipe, por exemplo, são atendidas pela Operação Carro-Pipa do Exército Brasileiro. Portanto, essas não podem ser assistidas pela operação do Governo do Estado, pois as duas ações possuem recursos da mesma fonte, o Governo Federal”, explica Luciano Queiroz.  

Ainda de acordo com o superintendente, a Defesa Civil estadual tem atuado para apoiar e orientar as coordenadorias de Defesa Civil dos municípios que sofrem com a seca e a estiagem. “O nosso objetivo é contribuir, cada vez mais, para que a população sergipana que sofre com o exaurimento hídrico possa ter acesso à água potável”, concluiu.

Governo realiza Seminário sobre Mitigação aos Efeitos das Chuvas para o ano de 2024

A ser realizado em 22 de março, evento terá participação de profissionais do Cemaden, Inmet, entre outros

Terça-Feira, 05 de Março de 2024 I 09:48:00

Tendo como principal público-alvo as coordenadorias municipais de Proteção e Defesa Civil de todo o estado, em especial dos municípios que sofrem com as chuvas, o Governo de Sergipe, por meio da Superintendência Estadual de Proteção e Defesa Civil (Supdec), realiza, no próximo dia 22 de março, no auditório da Biblioteca Pública Epiphanio Dória, em Aracaju, um seminário sobre Mitigação aos Efeitos das Chuvas para o ano de 2024.

Segundo o superintendente da Supdec, tenente-coronel Luciano Queiroz, o evento objetiva capacitar gestores, agentes e coordenadores que atuam com a proteção e defesa civil dos municípios sergipanos. “A quadra chuvosa compreende os meses de maio, junho, julho e agosto. Dessa forma, é importante que eles estejam preparados para atuar diante de eventuais necessidades que venham a surgir nesse período, bem como tornar clara para os gestores municipais a importância de desenvolver ações preventivas e mitigatórias”, explica.

Com temas de importante relevância no que se refere ao período de quadra chuvosa e de suas consequências, as palestras do seminário serão proferidas por profissionais especialistas do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Secretaria de Proteção e Defesa da cidade do Rio de Janeiro (Subpdec), Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE).

Ainda segundo Luciano Queiroz, as variações climáticas dos últimos meses foram fatores preponderantes para a escolha dos assuntos a serem discutidos nesta edição do seminário. “Em 2023, o fenômeno natural foi o La Niña. Já este ano, temos o El Niño, sendo assim, adequamos os temas pertinentes aos efeitos causados por cada um deles. Desse modo, conteúdos como ‘Importância da previsão hidrogeológica para prevenção de desastres naturais’, ‘Prognóstico Meteorológico para a Quadra chuvosa de 2024’, dentre outros que farão parte da programação, são primordiais para manter os profissionais do Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil do estado de Sergipe preparados para agirem”, enfatiza.

Com carga horária de 8h, o seminário é direcionado aos profissionais que atuam no sistema estadual e municipal de Defesa Civil. A inscrição é gratuita e já pode ser feita por meio deste formulário.

Última atualização: 5 de março de 2024 09:54.

Pular para o conteúdo