Defesa Civil de Sergipe vai à escola levar informação com descontração

postado em: Sem categoria | 0

Três municípios sergipanos receberam a visita dos servidores do Depec num bate-papo que pode ajudar a salvar vidas

 8 de abril de 2022 |  10:58

Um bate-papo com a garotada, com direito a encenação de teatro de bonecos, apresentação de vídeos educativos, distribuição de revistas, muita informação com descontração para estudantes e professores de escolas públicas. O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil de Sergipe (Depec) foi à escola durante toda esta semana no interior do estado, com o objetivo de amenizar as adversidades provocadas pelas chuvas e outros desastres e orientar alunos e professores do ensino fundamental.


O Depec tem investido em ações que possibilitem a mudança de comportamento e cultural da população. Segundo o Diretor da Defesa Civil estadual, tenente coronel Luciano Queiroz, é importante falar dos problemas e dos riscos de jogar lixo em canais, bueiros, rios, encostas e nas ruas e investir na conscientização e na prevenção de desastres. “Precisamos mostrar para este público como identificar riscos na sua comunidade e dentro das próprias residências e da importância do cadastro no sistema de alertas para recebimento de recomendações da Defesa Civil e dos alertas em caso de possíveis desastres”, orientou.


As escolas municipais Cel. Ernesto Muniz Barreto, no município de General Maynard; Fausto de Aguiar Cardoso, em Divina Pastora, ambos no Leste Sergipano; e o Leandro Maciel, em São Francisco, na região do Baixo São Francisco, receberam a visita do órgão. A ação foi planejada pela Defesa Civil Estadual em parceria com as Coordenadorias Municipais de Proteção e Defesa Civil (COMPDECs) e abrangeu 642 crianças e adolescentes. A atividade envolveu a distribuição de revistinhas, vídeos e teatro de fantoches informativos e educativos e contou com a participação de professores e outros profissionais das unidades de ensino.


A gerente de Planejamento e Gestão de Risco do Depec, capitã Flávia Emanuela, contou que as ações nos estabelecimentos de ensino têm tido resultados bastante positivos, porque as crianças e os adolescentes levam para a casa e para as comunidades as ações de defesa civil e a participação de cada um é necessária para a segurança de todos. “Eles são os maiores disseminadores do conhecimento. Levam para a mamãe, para o papai, para os vizinhos. Então, a gente tenta conscientizar e formar opinião das crianças. Queremos formar cidadãos mais protetores da natureza e conscientes de seus papéis na sociedade”, ressaltou.